Soluções inovadoras a serviço da gestão climática são essenciais para qualidade de vida nas cidades, aponta 14ª edição do Encontro Nacional do CB27

Melhorar a qualidade de vida das pessoas nas cidades com eficiência no uso de recursos naturais, humanos e financeiros é o que deve pautar a busca pela inovação e aplicação de tecnologias, concordaram os Secretários e Secretárias de Municipais Meio Ambiente das capitais brasileiras durante XIV Encontro Nacional do Fórum CB27, em Teresina.

“A conduta ética baseada nos acordos globais sobre sustentabilidade nos guia sem que deixemos de observar em sua aplicação a valorização das culturas locais e suas identidades.” – destaca a Carta de Teresina, documento síntese dos encaminhamentos e discussões que tiveram lugar em Teresina de 13 a 15 de junho de 2018.

Realizado cidade de Teresina, cidade que aparece nas projeções como região sujeita ao aumento sistemático das temperaturas e sofre com ameaça de processo de desertificação devido às mudanças climáticas, o encontro ressaltou a importância de incorporar inovações tecnológicas à gestão pública para fazer frente a esse desafio. “Achei que as mudanças climáticas eram um assunto distante, da próxima geração, mas ela já está na minha porta", afirmou prefeito de Teresina, Firmino Filho. Uma das sugestões de encaminhamento do debate com especialistas como Maria Alexandra Cunha, Professora do Departamento de Ensino e Pesquisa de Informática e Métodos Quantitativos da Fundação Getúlio Vargas, Raimundo Caminha, Consultor do Banco Mundial, Rodrigo Perpétuo, Secretário-Executivo do ICLEI América do Sul, e Valdemar Rodrigues, Diretor do Departamento de Desenvolvimento Rural Sustentável e de Combate à Desertificação do Ministério do Meio Ambiente, é a criação de um Fórum de Cidades Quentes, com a intenção de reunir cidades vulneráveis ao aumento da temperatura para identificar soluções de adaptação e para alívio do calor.

Alinhado também a essa discussão, o prefeito Firmino Filho assinou publicamente o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia, somando-se a mais de 70 líderes brasileiros e 9.000 globais neste movimento voluntários de enfrentamento local às mudanças climáticas.

Tendo como foco “Inovação e Soluções Locais pelo Clima”, o evento contou com a contribuição de representantes das consagradas instituições Banco Mundial, Instituto Tecnologia e Sociedade (ITS Rio), Ministério do Meio Ambiente, Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia, Anubz, BYD, WayCarbon, ABSolar, ABVE e Fundação Getúlio Vargas. Nesse contexto, foram apresentadas tecnologias como big data, blockchain e Internet das coisas, bem como de que formas essas tendências podem conectar-se com as agendas pela sustentabilidade local, contribuindo para cidades mais inteligentes e integradas.

O XIV Encontro Nacional também marcou a reunião da Assembleia do Fórum CB27, oportunidade na qual foi revisado o planejamento estratégico para o ano de 2018, prioridades temáticas para aprofundamento ao longo dos encontros nacionais do CB27 e metas para o grupo. Definindo como temas centrais até o ano de 2020 – marco do fim das gestões municipais atuais – as temáticas de planejamento climático, energia e arborização, Secretários de Meio Ambiente das capitais brasileiras e seus representantes comprometeram-se com o cumprimento da meta de que todas as capitais brasileiras iniciem, ainda em 2018, os processos de elaboração de inventários de emissões de gases de efeito estufa. Da mesma maneira, estabeleceram como prioridade até 2019 o desenvolvimento dos planos de arborização urbana municipal em todas as capitais.

Os debates terão continuidade em novembro, quando será realizado o XV Encontro, recepcionado pela capital Curitiba.